Lokço Adventure

#LOKOEPOKO

Análise Relâmpago: Golden Fruit Cup

Fifa realmente poderia oficializar caras de armadura para jogar bolas, não é verdade?

Futebol nunca pareceu tão tenso como é nesse filme!

Participação especial da maçã dourada que fez nada na série…ainda.

Antes de começar essa análise, quero dizer que não irei mencionar alguns detalhes da série, como o episódio em que Kaito sonha em um mundo de futebol, onde futebol é uma zona de guerra, jogadores da J-League aparecem do nada e Bravo fica ridículo de uniforme. Foi um episódio bom, mas a prova de que é melhor um especial como prólogo. Só dizendo…


Com isso em mente, vamos ao filme, podemos?


Bem, o filme é…a versão Kamen Rider da Copa do mundo…se tivessem fumado CRACK, se isso resume a cena do futebol, seguindo do clichê 2×1. Bom, eu não sei se isso aconteceu entre Holanda e Espanha (Copa Do Mundo References).

Já mencionei que isso parece ridículo?!


O filme ainda mostra que alguns personagens possuem algumas diferenças: Kaito é um cara bonzinho assim que acaba o jogo (eu ri nessa parte), Takatora possui uma esposa (você não leu errado) e Mitchie… está acordado…Okay…

Basicamente, Lapis (o nome mais ridículo que já vi pra dar pra uma pessoa) está morto (previsível desde o “início”) e envia Kouta para a sua utopia. Mas o Cientista maluco Ryoma libera o Kougane e decide foder com a porra e fazer sua versão de Guerra Civil com Kamen Riders…

O filme não é lá grandes coisa, mas ei, é melhor do que viajar para o mundo da Magia, não é?

Hey, amigo, seu cadeado está bem…transparente…

Sério, esse filme só não é bem… idiota, por que…bem…esse filme faz umas coisas bem bizarras, que é mais fácil você assistir do que eu explicar. É sério!

Nem ao menos tentaram esconder esse “repaint”. Pode isso, Arnaldo?

Mas vou falar do vilão chamado Kougane, a.k.a. o vilão mais MEEEEEEEEEEEEE da Terra…

Basicamente (de novo), ele quer juntar ódio (?) dos Riders para conseguir liberar sua Lockseed e assim…conseguir alguma coisa, que até hoje não sei o que é. Além disso, ele diz ser a tal da Fruta Dourada.

This isn’t my TRUE FORM..

THIS IS MY TRUE FORM!!

Oh, ele se transforma num Centauro do SATANÁS para assim, se tornar um DEUS (CARALHO,TROLLEI!). Mas ele é derrotado por um sonhador, um morto e seus amigos sonâmbulos (exceto o Mitchie, porque sim) e era um sonho…bom, desde que não tenha um ouriço morto e alguém praticar necrofilia, já tá bom pra mim…

Bom. foi bom enquanto du-

Caralho, por que você não morre?!

Ow, e como esse filme  se passa na época da Copa do Mundo…


Obrigatória participação de jogadores da JSL…
Anúncios

25/06/2016 Posted by | 2014, filmes, gaim, kamen rider | Deixe um comentário

Top 7 – Heróis memoráveis nos animes.

E aí? Retornei o/
A faculdade me tomou muito tempo e fiquei um tempão sem postar nada por aqui, entre uma avaliação e outra do curso fiquei maquinando sobre o que postar. E nada como heróis, heróis de todos os tipos, de todas as cores e por que não de todos tamanhos.
Para iniciar esse top 7 de heróis que foram memoráveis nos animes, na minha vida de geek, nada como iniciar com um clássico classicão mesmo.

1- Goku – Dragon Ball

 Oi! Eu sou o Goku o/

 Quem mais poderia ser? Goku foi e ainda é um grande herói da minha geração, fala sério… eu matava aula pra ver Dragon ball, apesar do Goku não estar entre os meus personagens favoritos da saga (dá-lhe Gohan na saga do Cell).

2- Jonathan Joestar – Jojo Bizarre Adventures

Eu Divo, tu divas…espera! Só eu DIVO aqui.

Apesar de JoJo ser um anime recente (segundo meu irmão “Anime de hombre, macho”), ele me deu ânimo para voltar a acreditar em uma boa estória, além de não existir nada mais épico que a Onda. Overdrive em você que discordar!!!!!

3- Taichi – Digimon

Essa imagem brilha a infância t.t

Antes de conhecer Dragon Ball, meu primeiro anime foi Digimon, acompanhei fielmente a primeira parte da saga. O Tai é aquele herói cheio de complexos e mesmo no Adventure Tri ele continua com seus complexos.

4- Edward Elric – Full Metal Alchemist

QUEM VOCÊ CHAMOU DE PIGMEU???????????

O baixinho mais amado do Full metal, foi simplesmente incrível. Foi o estopim dos animes, foi aquele foda demais pra tentar explicar com palavras (aquele que me fez começar a usar óculos por que grudei na tela do pc). Aproveitar e comentar sobre a porcaria do Brotherhood, desnecessário a existência. Fim. Não aceita sai do planeta.

5- Allen Walker – D.Gray-Man

 *—*

Meu personagem favorito em D.Gray o/ O Allen é todo complexado e único, apesar de cair no clichê em alguns momentos do anime, ele ainda é o personagem mais épico e mais foda. Nem o Yuu Kanda vence.

6- Yagami – Death Note

Vou colocar seu nome no Death Note por ter ousado me colocar em 6º lugar.

Ok! Você pode argumentar: “Kira não é herói, é um absurdo colocar tal ser junto com personagens memoráveis”. Primeiro: a lista é minha, não sua. Segundo: Kira foi sim um herói (FUCKING HERO!!!) e digo mais, Death Note só foi épico por conta dele. Kira >>>>>>>>>>>>>>>>L.

7- Seiya – Saint Seiya

Chupa Hyoga, você que é o favorito mas eu que estou no top.

Ta! Eu não curto Seiya, nunca vou curtir e não há ser humano no planeta que vá mudar minha opinião, mas verdades sejam ditas… ele é um baita herói, sabe apanhar como ninguém e se reerguer como ninguém, além de ser memorável e clássico.

E esse foi o top 7 (que era 10 e virou 7) do dia.
Aguardem ansiosamente sobre Singeki, eeeeeitaaaa anime clichê.

30/03/2016 Posted by | Uncategorized | Deixe um comentário

Opinião pessoal #3: Patentes, Reactions e Copyright

De acordo com o dicionário, reagir, do latim reagere significa:

V. intr. 1 opor a uma ação outra contrária; exercer reação; 
2 apresentar uma alteração física como resposta a um estímulo exterior; 
3 comportar-se de uma determinada maneira face a um dado facto ou acontecimento; 
4 resistir; opor-se; lutar; 
5 QUÍMICA servir de reagente;


No caso, seria a 2ª definição (ou até mesmo, a 3ª) do que seria reagir. Bem, se eu disser que uma companhia tentou PATENTEAR o verbo? Foi quase isso que aconteceu.


Há uma semana, a companhia Fine Bros. tentou registrar um programa chamado “React World”. Um texto do site IGN (de todos os sites), ou pelo menos um parágrafo vai te explicar como que funciona (caso queira ler o texto completo, clique aqui para entender toda a situação):

“[…]O “React World” tinha como objetivo registar e licenciar o formato “video de reação,” bem como a palavra “React,” à qual várias pessoas se opuseram devido à quantidade de vídeos existentes nesse formato. [..]. O plano passava pela disponibilização de ferramentas e assets para que outros pudessem fazer os seus próprios vídeos, nos seus canais.[…]”

Em outras palavras, se quiser fazer um vídeo que envolve reações, você teria que fazer parte de uma network de Reactions para ser pago. Um detalhe? Vídeos de reação não é um negócio novo. E aí, todo o inferno veio para o plano terrestre.

Sentem-se ae, senhoras e senhores, por que essa parada vai ser doida.

O que The Fine Brothers (agora, apelados carinhosamente de The SWINE Brothers) tentaram fazer foi patentear um VERBO, falado em diversas línguas e um “gênero” que tem um enorme aumento nesses últimos anos.

Só que isso é apenas a ponta do iceberg que é isso tudo…

The Fine Brothers

Não estamos rindo pelos vídeos.
Estamos rindo porque estamos caçando seus REACTS!

Iniciada em 2007, a companhia criada pelos irmãos Benny and Rafi Fine criou vídeos baseados em reação, instantaneamente ganhando milhões de usuários por todo o mundo. Até o início desse ano, eles possuíam 14 milhões de usuários e 3 BILHÕES de views, possuindo 3 canais, sendo um de músicas e duas séries em 2008, uma delas concluída em 2011, além de 2 séries em 2014.


Mas…

Conteúdo não tão original

Dizem as más línguas que um canal do You Tube criou um vídeo em que os idosos reagiam á certos vídeos, chamado de SENIORS REACT. Mas, porém, todavia, entretanto, NO EN TAN TO, os Fine Brothers deram um strike no cara, pegaram o mesmo conceito e criaram o chamado ELDERS REACT.


Não sendo somente isso, uma série de strikes foram dados para quem fazia do mesmo formato. Ou seja, o que pra eles era plágio, pra outros, é uma forma de…bem, paródia.


Deixa eu ser franco aqui: os irmãos Fine não criaram o agora chamado gênero REACT (pelo que eu saiba), apenas popularizaram o gênero mundo afora. Junta isso com a vontade infinita de ganhar dinheiro, na qual é a maior motivação pra culpar as merdas do pessoal hoje em dia (algumas realmente legítimas) e você tem um dueto BEEEM lascado.


Ação bosta = FUDEU!!!

Segure esta merda imaginária ae, truta!

Conforme dito antes, o React World tinha como objetivo licenciar não só os vídeos de reação, como também patentear o verbo React. Somente isso já foi causa o suficiente para ocorrer uma queda desastrosa, a ponto de criarem, vejam vocês, lives só pra ver os Not So Fine Bros. perderem 1 milhão de inscritos (e você, youtuber, se lamentando por perder 1 inscrito).

A ideia foi tão bosta que removeram o vídeo, mudaram de ideia e tiraram essa ideia da cabeça. A pior parte? Eles ainda tentaram responder, mas bem…digamos que os resultados não foram lá dos melhores. De fato, só conseguiram tornar a rage no You Tube maior do que o Aruan, o retardado que cortou a placa do You Tube, ganhou mais inscritos do que perdeu e dançou na cara de todo mundo (inclusive com esse que vos fala).

O efeito dominó chamado Fair Use

Pessoalmente, acredito que isso acabou reiniciando um papo, há muito tempo em discussão no You Tube, o famoso caso de Fair Use.

Basicamente, Fair Use é o uso de terceiros em seu vídeo, que serve para divulgar, parodiar e até fazer reviews. Em teoria, você faria uma divulgação de possíveis materiais de diversos assuntos. Na prática, isso seria o começo do fim.

O sistema DMCA do You Tube, desde que a Google comprou, se tornou alvo de críticas e piadas por ser completamente falho. Não, um sistema em que MACACOS parecem controlar esse sistema.

Em resumo, sua conta pode receber até 3 strikes que envolvem Copyright Issues (ou os famosos problemas de direitos autorais). No 3º, seu canal é absolutamente removido do You Tube, e você tem no máximo, até 1 semana para responder.

Prevejo uma treta malégna ae…espera, já passou?!


O problema é que qualquer um, e eu digo QUALQUER UM, pode dar um strike na sua conta e praticamente, foder com o seu canal. Esses Copyright Claims falsos fizeram com que vários canais sumirem do You Tube.  Pensa que são só os Trolls que fodem com todo mundo? A FOX  pagou uma de filha da puta, só por que Felipe Castanhari fez um vídeo falando dos Simpsons, o carro-chefe da empresa. Fellizmente, o Canal Nostalgia sobreviveu a isso. Queria dizer o mesmo dos outros canais que sequer possuem uma network, como o nosso canal e até de outros espalhados pelo You Tube afora.

O caso mais grave toma forma entre os gamers: Nintendo e #Fuckonami são os mais famosos. Basta um vídeo seu de um jogo da Nintendo e da Konami e o seu canal cai no limbo. No caso da Konami, enquanto ocorria a “transição” dos games para os Pachinko, um vídeo foi remvido do You Tube, só no dia seguinte, voltar graças á um strike terrivelmente aplicado (Eu não vou falar o nome do canal, mas se você leu e lembra desse caso, então você entende o que eu quero falar). 

“Divulgação? Bah, é pirataria! Strike nesse FDP!”
Nintendo e sua mentalidade retrocedente


O caso da Nintendo é ainda mais grave, já que eles dão strikes até mesmo em ROM hacks de Super Mario World (tipo Kaizo Mario). Isso fez (e ainda faz) vários youtubers desistirem de publicar vídeo de gameplay de um jogo de MAIS DE 20 ANOS ATRÁS e ainda ter 80% do conteúdo do seu canal ser estraçalhado por que é “pirata” (Melhor desculpa ever).

E o programa de criador de conteúdo ainda é visto com maus olhos: já que Iwata não está entre os vivos, quem aprova ou não os vídeos fica um mistério. Além  disso, nunca ouvi falar de um criador de conteúdo que te paga depois de 3 meses do vídeo ter saído. Isso que é desencorajar geral, até eu fiquei acovardado por causa dessas merda ae.

Ok, mas o que isso tem a ver com o assunto, The Fine Bros?

Retroceder decisões!

Depois do escândalo e antes da, esdrúxula, resposta aos seus inscritos, os irmãos “prometeram” retirar as acusações de direitos autorais dos vídeos de React dados por eles e rescindir de tentarem patentear o verbo React. Não, você não leu errado. Eu disse verbo, não gênero (React = Reagir).

E por causa de uma iniciativa de patentear algo tão simples, o iceberg é mais fundo do que pensávamos e The Fine Bros, junto da Konami, Nintendo e outras pessoas e/ou empresas estão no Hall de SGEMMIQM (Seres e Grupos Empresariais Muito Menos Inteligentes do Que um Macaco).

Palmas para eles!!!!

21/03/2016 Posted by | dmca, opinião pessoal, react, youtube | Deixe um comentário

Séries 2014/2015, parte Final: os 5 momentos mais épicos de 2015!

Hora de fecharmos as comemorações do ano novo com uma lista mais do que incomum.
Quem nos acompanha, sabe que eu faço as listas com 2 anos (com exceção das 10 melhores séries 2000/2013) e separar nas listas que você lê.

Mas dessa vez, eu vou fazer algo diferente: vou escolher os 5 momentos mais épicos das séries, apenas durante 2015, mais conhecido como ano passado.

Mas, antes, preciso deixar claro:

  1. É OBRIGATÓRIO que sejam séries que estrearam em 2015. Séries que começaram antes de 2015 também entram, desde que tenham sido concluídas em 2015;
  2. Séries que não estão concluídas (ou tem uma segunda temporada marcada para esse ano) entram na lista;
  3. Filmes não entram na lista, infelizmente;
  4. Essa lista é, assim como todas as outras, de opinião pessoal, sem possibilidades de mudanças das pessoas a visualizarem. Caso queira opinar quais são seus momentos épicos, digite nos comentários. Oh, e contém spoilers!


Sem mais delongas…


5- Aioria e Aioros vs Loki (Saint Seiya: Soul of Gold)

Digam o que quiser de Soul of Gold e sua animação Mene Grassado, eu tenho culhões o suficiente para considerar o encontro de Aioros e Aioria um dos momentos mais épicos de 2015.

Sem dúvida, é uma cena emocionante, vinda do antepenúltimo episódio (possivelmente, o melhor da série), onde os dois irmãos finalmente lutam juntos contra o patético Loki (ênfase em patético) em meio á Yggdrasil queimada.


O mais foda dessa parte é que essa é apenas o gatilho para mais outras duas cenas que poderiam entrar nessa lista: A reunião dos 12 Cavaleiros de Ouro e a evolução para as Armaduras Divinas. Embora eu acredito que sejam esteróides em vez do sangue de Atena, mas isso é assunto para outro dia…

4- Os três Kamen Riders (Kamen Rider Drive)

E é assim que faz um team up!

Quem assistiu Kamen Rider Drive, sabe que a série possui episódios muito épicos, com formas inusitadas e várias, VÁRIAS surpresas!

Só que isso…ISSO foi foda. Depois de uma metade sombria e um plot twists nem tão bom assim (hm), veio essa imagem (com o link para o vídeo).

Drive, Mach e Chase lutam juntos contra diversos Cyborgs com o nome tão complicado que eu não sei escrever até hoje (até a série faz piada com isso) e WOW, que foda! E tudo isso ao som da música épica chamada Spinning Wheel. Preciso dizer mais alguma coisa?


3- A luta de espada mais épica da história do EVER (Garo The Carved Seal of Flames)

Digna  da Trilha sonora, Futari no Kishi, Shikumei no Tatakai.

De longe, um dos melhores momentos da série e, na minha opinião, a melhor luta da franquia desde a luta entre Garo vs Zero, essa luta também serve como conclusão do desenvolvimento de Leon, que andava meio perdido durante boa parte da segunda metade.

Não sendo só isso, até Alfonso, o temporário Garo, convence de “apagar” as chamas que o consumia durante seu desejo de vingança.

Surpreendentemente, essa é uma das cenas que continua vívida na minha cabeça. Mais um motivo por não conseguir gostar de Crimson Moon.

2- Nem os alienígenas conseguem parar o careca (One PUNCH Man)  


Saitama lutando contra um ciclope alienígena, cuja raça teve que lutar para provar que são fortes…

Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee…..Morreu!

Bem, expliquei com 20 palavras ou menos, não preciso explicar mais nada, preciso?!


1- Jotaro, o mestre do blefe (Jojo’s Bizarre Adventure: Stardust Crusaders Egypt Arc)

Eis a verdade: Jojo tem muitos, MUITOS momentos épicos durante os 3 arcos exibidos entre 2012 e 2015.

Mas no caso do 1º lugar, a surpresa acontece já no começo. Jotaro aposta a sua alma, a de Avdol, a de Kakyoin e até da sua mãe (que até então, ela andava meio sumida). A aposta que D’ Arby dá em resposta?

Bom, é preciso ver o vídeo pra saber a resposta!


Bom, esse foi meu top 5 momentos épicos de 2015! Obrigado a todos que nos acompanharam durante essa extensa lista e desculpe se essa lista saiu depois da data prevista…

Oh, e em 2016, não vai ter Assassin’s Creed…então tem isso…(O que q tem a ver com esse top, eu não faço a mínima ideia!)

09/01/2016 Posted by | epic win, séries 2014/2015 | Deixe um comentário

Séries 2014/2015, parte 3.2: as 10 mais ÉPICAS séries!

E agora, chegou a hora de descobrirmos quem são as 10 séries mais ÉPICAS de 2014/2015…na minha opinião, claro!

Foi uma loucura separar 35 séries em diferentes avaliações pessoais. Honestamente, eu não esperava fazer uma escolha tão difícil.

Eu comecei essas listas no final de outubro ou novembro, e mesmo sabendo que ia ser difícil, eu não tinha IDEIA do tão difícil ia ser…mas chega de bate-papo. Agora, chegou a hora de encerrar essa loucura…por agora!

Sem xurumelas, aos costumes…

10- Cross Ange: Rondo of Angel and Dragon (10/2014 – 3/2015)

Se você viu minha review (sério, é só clicar aqui e ver a review, não é tão complicado), sabe que Cross Ange, além de ter um nome japonês PUTA complicado (sério, me recusei a colocar o nome no título do vídeo), a palavra LÓGICA estava fora de questionamento de existência. Estranhamente (e ironicamente), isso é uma coisa boa.

Basicamente, é uma adolescente (clichê) que mata dragões, que são mulheres de outra dimensão. Mais ou menos como em Monster Hunter, só que com tetas, lesbianismo, Complexo de Messias e todos voltam por caralhos de motivo algum. Bizarro? Talvez. Foda? Sim. Confuso? Acho que não preciso responder a pergunta, NHÉ?

Oh, e em Cross Ange, não tem Síndrome de Shun de Ândromeda, então…

9- Owari no Seraph (4/2015 – 6/2015)


Sim, eu sei que a 2ª metade saiu esse ano, mas ainda não assisti, então vou comentar a 1ª metade. E foi foda.

Katanas, demônios e vampiros foi uma ideia que nunca pensei e quando assisti, surpresa: foi melhor que o esperado. Se você tem uma ótima história com ótimos personagens (bem, a maioria deles), suas motivações, a resolução para o futuro, uma surpreendente Trilha Sonora e oh…a sensação de QUASE ser uma série completa…

Então, Owari no Seraph é o primeiro da lista que vai voltar na lista para o ano que vem…só não esperem em qual lista vai aparecer (Spoiler: não sou imprevisível)!





8- No Game No Life (4/2014 – 6/2014)

Não é de hoje que você vê uma ótima homenagem aos gamers. A última vez com Detona Ralph em 2012. E agora, com No Game No Life.

Bem, não é bem uma homenagem aos gamers mais hardcore, mas quem gosta de jogos vai curtir mais a série. Afinal, quem quer entrar no mundo dos games e fazer coisas malucas, como por exemplo jogar sempre em duplas, dominar nações e desafiar deuses? Eu entraria, mas a ideia é bastante louca pra mim.

E ei, o tom da série é muito bem feita. Bastante engraçado, cheio de referências e easter eggs e até uma boa história, essa série é definitivamente a homenagem aos games e aos gamers.

7- Kamen Rider Drive (10/2014 – 9/2015)

Definitivamente, uma das grandes surpresas que eu tive no ano passado, Kamen Rider Drive talvez tenha uma narrativa melhor que seu antecessor, e o 1º lugar das melhores séries 2013/2014, Kamen Rider Gaim, mas isso não a torna a melhor série da franquia (já que possui dois candidatos pra isso). Mas por que está entre os Top 10?

Bem, pra começar, a série possui ótimos personagens, uma trilha sonora até boa, se isso compensa a história bem…OK. É uma boa história, mas não tão boa quanto Gaim ou até Blade nesse quesito.

Ainda assim, não impede de ser uma ótima série e eu curti de fato a série. Espero que Ghost seja tão boa quanto Drive.

6- Assassination Classroom (1/2015 – 6/2015)


Nuruhuhuhuhu…

É de dar dó colocar Assassination Classroom fora dos top 5 entre as séries mais épicas de 2014/2015. De fato, mereciar estar numa posição maior, mas deixe-me explicar.

Sim, Assassination Classroom é uma série incrível, dando um grande elenco de personagens seu devido foco. O tom de comédia e nonsense são malucos e os momentos tensos da série são, de fato, tensos e mostra que a série não possui pistas de continuar (mas vai voltar, então beleza!), algo que GOSTO de ver nessa série!

Então, por que essa série está em 6º lugar? Bem, por que as outras séries conseguiram chamar minha atenção melhor do que Assassination Classroom!

5- Arslan Senki (4/2015 – 9/2015)

YASHASHIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIN!!


Você sabe que a série será épica quando o PRIMEIRO episódio te deixa interessado para acompanhar o resto da série. Resultado? Bem, estou escrevendo o tão foda a série é, então acho que não preciso falar o resultado, preciso?

Arslan Senki é uma história de época. FATO. O mais próximo de usar magias no Oriente Médio. Mas, hey, a história não é só boa, como os personagens são fodas, a OST é épica e a animação é…Não tão boa assim, pra ser honesto. E o CG é uma merda. Então tem isso.

Mas se isso impede de que possua uma possível 2ª temporada? Não. Mas gosto de imaginar de como essa história deve terminar. Não espera, existe o mangá pra isso.



4- Jojo’s Bizarre Adventure: Stardust Crusaders (1ª metade: 4/2014 – 9/2014, 2ª metade: 1/2015 – 6/2015)

Surpreso? Eu também fiquei, considerando a concorrência desse ano.

Stardust Crusaders é um arco bastante conhecido (ênfase no BASTANTE) pelo mundo afora. Com certeza não é um dos melhores arcos (pessoalmente, Battle Tendency carrega como um dos meus favoritos), mas quando se trata de ser o mais único e que envelheceu bem, esse é o arco certo para assistir.

O começo da viagem foi um pouco morno, mas quando chega no Egito, a palavra Bizarro eleva a 11ª potência. E o final, HORY SHIET! É muito épico!

Oh, e a série continua nesse ano com Diamond’s Unbreakable, então esse 4º lugar é simbólico.

3- Ushio to Tora (7/2015 – 12/2015)

Quer voltar aos anos 90, conhecido como o tempo em que os animes eram legitimamente bons? Então tenho a melhor recomendação pra isso: Ushio to Tora!

Sendo uma das melhores surpresas desse ano, Ushio to Tora traz tudo: ação, comédia, drama, tensão e um dos momentos mais trágicos que já assisti desde que recomecei a assistir animes e séries (sim, você não leu errado!). Com um elenco de personagens muito foda, uma das trilhas sonoras mais sombrias e fodas que já ouvi e uma história que, apesar dos fillers, fica mais sombria e você sentirá os anos 90 voltando rapidinho.

Oh, e a 1ª metade consegue ser completa, mas se você quer assistir a 2ª temporada, recomendo começar a assistir agora.



Antes de anunciar os dois animes mais épicos, essa foi a pior e a mais difícil escolha, muito porque esses são os dois animes que eu assisti e as que eu mais gostei. Considerando que isso pode pesar (e muito) nas minhas listas, essa é uma opinião minha e se você acha que esse anime e/ou série deveria estar em 1º lugar, eu ficaria feilz (e até grato) de querer saber sua opinião. Sem mais delongas, os dois animes mais épicos.

2- One PUNCH Man (10/2015 – 12/2015)

Que venha a fanbase dar rage, eu odeio fanbases e estou andando e cagando pra vocês, belê? Belê.

One PUNCH Man é, de muito longe, o mais nonsense, mais hilário e o mais foda anime desse ano. O melhor? Já era previsto desde o 1º episódio, exibido em SETEMBRO!!

E, conforme eu assistia esse anime, eu gostava mais dessa série. Super heróis com nomes ridículos, fantasias esdrúxulas e as batalhas mais Over The Top Metal Gear Rising Bayonetta Platinum Games do universo e um personagem O.P. que não é um chato de galocha (muito pelo contrário, é o melhor personagem da série, ao lado de Genos).

Então não considere o poster: One PUNCH Man tem ação, comédia e o que mais tiver nos padrões nonsense de lógica!

No entanto…

1- Garo: The Carved Seal of Flames (1ª metade: 10/2014 – 12/2014, 2ª metade: 1/2015 – 3/2015)

Isso me deixou mais surpreso ainda!

Garo: The Animation me pegou desprevenido desde que foi anunciado há muito tempo e o resultado?

Que tal acompanhar uma história que fica mais interessante a cada episódio? Uma das melhores versões da armadura do Garo já vistas desde 2005? Uma das melhores lutas de espadas da série e dois protagonistas ainda melhores, ao lado de uma boa história e a mais épica OST já ouvida na franquia e o elenco de personagens secundários?! CALL. ME. NOW.


Sim, é um anime com diversas falhas, mas nunca foi um anime que me deixou entediado. E o melhor: a série vai ganhar um filme. Oh, e é melhor que Crimson Moon, então…


E esse foi o Top 15 melhores séries 2014/2015 na minha opinião. Agradeço todos que nos acompanharam durante o ano passado e esse ano, esperamos que nos acompanhem durante nossos vídeos em nosso vlog e nossas postagens durante o blog.


E para aqueles que estão acompanhando somente esse top 10, aqui está os links para os 5 melhores que começaram o Top 15 , as 10 séries mais frustantes e as 5 piores séries entre 2014/2015.

E dia 7: os 5 momentos mais épicos da temporada 2015 (somente 2015).

05/01/2016 Posted by | 10-1, séries 2014/2015, top 15 | Deixe um comentário

Séries 2014/2015, parte 3.1: as 15 melhores séries (15-11)

E depois de analisar as piores e mais frustantes séries, chegou a hora de analisar quais foram, na minha opinião, as melhores séries que passaram entre 2014/2015. É, se você esperava que eu ficasse xingando as merdas que eu vi, seu senso de insanidade está mais de errado!

Antes de mais nada, eu sei que algumas séries do ano passado irão possuir continuações para esse ano, mais conhecido como 2016 (HUE). Então, estou considerando as séries que foram exibidas em 2015 e as que assisti entre 2014 e 2015 (então você sabe as regras para se qualificar nessa lista)!

Oh, e como você leu no título, será um top 15, só que serão apresentadas as que não entraram no top 10, então….

15- God Eater (7/2015 – 9/2015, exibição dos próximos episódios em 2016)

Acho que pelo que você leu em cima, você não entendeu muito bem, já que não incluo séries que não terminei de assistir, então permitam que eu explique. 

God Eater é, de fato, uma das adaptações de vídeo games mais únicas e consegue adaptar a história do jogo muito bem, ainda mais quando God Eater é um jogo onde VOCÊ define seu personagem. Não é só interessante como se desenrola, como também demonstra um misto de renderização em CG com traços feitos á mão. E isso só é capaz de chamar a atenção de muita gente.

Então, por que está em último lugar? Simples: o modo em que foi exibido.

Durante o tempo em que God Eater foi exibido, houve diversos problemas em relação á exibição da série, levando ao descontentamento de vários fãs e a série, com seu abrupto “encerramento” no final de Setembro.

Com isso, God Eater tem seus 4 últimos episódios a serem exibidos em março desse ano, o que contribuiu para a minha escolha de posição desse jogo. Ainda sim, não deixa de ser uma das adaptações mais surpreendentemente boas de jogos e que deveria assistir. Mas espere março chegar e você vai assistir a série nos seu 100%. 

14- Saint Seiya: Soul of Gold (4/2015 – 9/2015)

Ok, essa parte vai ser polêmica, considerando que estamos entre as 5 últimas séries, mas vamos lá.

Soul of Gold foi (e talvez, ainda seja) um caso de overhype, considerando a lendária baixa qualidade, fonte de vários memes. Mas se eu gostei dessa série para entrar nesse top 15? Bem, sim. É a minha lista, não a sua.

Soul of Gold é uma série estranha: os Cavaleiros de Ouro voltam á vida para parar alguma ameaça enorme em Asgard. Estranho? Sim. E é lendariamente foda.

Pela primeira vez em anos, os Cavaleiros de Ouro são os protagonistas de uma série animada (obrigado, Episode G!), eles possuem personalidade (Máscara de Morte, o melhor personagem), motivos e…Armaduras Divinas temporárias, porque Saint Seiya não é uma franquia para vender bonecos ou alguma coisa assim, não é? (exceto que é uma franquia para vender bonecos e produzir mais séries sem senso de cronologia). Além disso, é a primeira vez que assisto uma série que acredito que NÃO tenta ser uma série grande, algo que não vi há anos e, como um fã da saga Clássica (e um cara que gostou da 1ª parte do Omega), é intrigante e interessante!
É a melhor série da franquia? Não. Mas é uma das mais únicas da franquia.

Oh, e Afrodite entra no páreo de quem é o Cavaleiro de Ouro mais poderoso, então…

NET RAAAAAAAAAGE

E eu sei que minha opinião é diferente, então deixarei um vídeo de uma outra pessoa que assitiu Soul of Gold, do canal CAPSLOCK, um dos canais na qual esse blog é inscrito (e a opinião dele é interessante, então mais um motivo para ver o vídeo):



13- Yuki Yuna is a Hero (10/2014 – 12/2014)

Yuki Yuna wa Yusha de Aru Promotional Poster.pngSombrio, envolvente e interessante, o tipo de série que eu gosto de assistir.

Yuki Yuna is a Hero é, considerado um Ctrl+C Ctrl+V de Madoka, pelos xiitas da vida (também conhecida como fanbase). Se esse anime fosse assim, virar Deus seria  mais um esteriótipo. Sorte que não é.

Yuki Yuna tem uma história bastante expansiva, uma protagonista não tão clichê assim (grato por isso, só pra constar) e muita coisa rolando em apenas 12 episódios. Oh, e detalhe: sem requerer uma segunda temporada, porque isso foi foda!

Mas ae você, leitor que não entendeu meus motivos para eleger a série como a 13ª série de 2014/2015, me pergunta: por quoi você deixou Yuki Yuna em 13º lugar?

Bom, porque gosto mais das 12 séries…e porque não dei spoiler sobre a história e deixo, em LEGÍTIMO, a minha recomendação para essa série!

12- Kiseijuu: Sei no Kakuritsu (10/2014 – 3/2015)

Ok, esse lugar seria originalmente de Kuusen Madoushi, mas considerando a reputação que essa série tem depois que foi exibida (Spoiler: não é uma série muito boa) e essa são apenas minhas primeiras impressões de Kiseijuu, então…yeah *tongue noise*.

Então, Kiseijuu é um anime bem nonsense (embora não tão nonsense quanto um outro anime nessa lista), a história não é só interessante, mas também bem envolvente e até atrativo ver como se desnrola.

Acima de tudo: é um anime que tem bastante gore e coisas malucas. E estamos falando de um anime que chamou minha atenção por ser um anime nonsense.

Mas, ainda tenho que ver o resto, então 12º lugar.
PRÓXIMO!

11- Senki Zesshou Symphogear GX (7/2015 – 9/2015)

Puta que pariu, que venha a fúria dos fãs de Symphogear…

Depois do barulho que essa série fez quando estreou 3 anos, e do boom da 2ª temporada em 2013 (que eu não pus na lista 2013/2014), provavelmente por causa das cenas de ação a la Metal Gear Rising, a terceira temporada, que demorou 2 anos pra sair, fez um rebuliço… o resultado?

Aparentemente, não tão bom quanto Symphogear G, e eu tenho meus motivos: A protagonista ganhou o que eu chamo de Síndrome de Shun de Ândromeda: a pessoa é uma puta destruidora, capaz de deixar qualquer um louco de medo…e ela não quer lutar, o famoso clichê de contrapartes do “Lado Negro da Força” (STAR WARS REFERENCE).

Fora isso, a série começa ARREBENTANDO o monte Everest, destruindo armaduras e…Berserk Armor-like (YES!) e uma das antagonistas mais bem construídas que eu já vi esse ano.

Ainda sim, não é melhor que Symphogear G e odeio clichê de Bem vs. Mal (mesmo eu assistindo isso aos montes)!

Além disso, quando vai aparecer uma Symphogear User vestindo a EXCALIBUR?

E se prepare, porque ainda hoje, saiba quem são as 10 mais ÉPICAS, WIIIIIIIIIHAAAAAA!

04/01/2016 Posted by | 15-11, séries 2014/2015, top 15 | Deixe um comentário

Séries 2014/2015, parte 2: as séries mais FRUSTRANTES

E depois de procurar as piores séries de 2014/2015, vamos as séries mais decepcionantes…aquelas que, em vez de te deixar satisfeito e/ou com um enorme sorrisso na face, te deixaram com uma enorme frustração na cara. Mas, com um leve twist nas regras:

  1. São séries que assisti entre 2013 e 2015;
  2. São séries que, na minha opinião, não foram exatamente as melhores ou até mesmo tiveram um bom começo, mas que no final, foram uma completa bosta. Séries que não terminei entram na lista, desde que cumpram esses quesitos
  3. Uma série por franquia
  4. SPOILERS!!!
  5. Vamos começar essa lista!


10- Mahou Shoujo Lyrical Nanoha ViviD (4/2015 – 6/2015)


2015 foi um ano que fez várias franquias retornarem…não do jeito que muitos esperavam. Um desses exemplos é Nanoha ViviD. 

É, parece que 8 anos de intervalo entre as últimas séries não foi um melhor momento, ou muito menos uma adaptação do mangá. ViviD tem uma animação, na maioria das vezes consistentes e um elenco de personagens…bons, até. Mas, perto de episódios entediantes e até mesmo falta de lutas boas (ênfase em BOAS) em alguns episódios, sua única opção é sentar e dormir pertubadamente.

Sim, a história do anime não está completa, já que no mangá está ANOS encerrada. Mas, a essa altura do campeonato, a 2ª temporada foi ladeira abaixo…tal como o Divine Buster na sua fuça!

Por que anda fazendo essa cara? Só por que a verdade dói?


9- Benmashi Cecil (1/2014 – 3/2014)

Daqui a 2 anos, teremos advogados  com robôs gigantes, um sapo gigante e…bem, só isso.


Honestamente, esse poderia estar lista dos melhores (ou não) do ano passado. Mas…bem, esse anime é fraco. É bem vazio e MUUUUUUUUUUUITOOO lento. Não sendo só esso, os personagens se não genéricos, são muito pouco compreensíveis e o último episódio é confuso pra caralho.

Tão confuso que foi necessário assistir o Blu-Ray pra tentar entender e mesmo assim, ainda não consegui entender. E quem é aquela melher que é um demônio? Por quê o sistema de Justiça é tão confuso e falho? A resposta: foda-se, vamos deixar um cliffhanger e todo mundo crie seu final, produtoras só querem seu dinheiro!

Felizmente, eu esqueci de todo o resto…até fazer essa lista, diferente do próximo da nossa lista…


8- Shinsekai Yori (9/2012 – 3/2013)

Maldita Topeira Mutante!!!

Propaganda falsa! Ninguém sorri nessa porra!


Ok, eu sei que esse anime estreou antes da nossa faixa, mas tenho que falar dessa “crítica” sobre utopia.

Pra começar, estamos no ano 3000 e parece que estamos em algum da era Vazia do Japão (lembra dessa época que existiam topeiras mutantes escravas e poderes de Jedi? Não, porque CARALHOS isso não existe), só na 2ª parte, REALMENTE ser um futuro pós-apocalíptico (CRICHÊ). 

Além de matar seus personagens (não que eu não desse importância).  Some isso a uma animação inconsistente, uma história BEM confusa e o fato de fingir ser um anime de ficção científica (sim, eu disse fingir), e você tem um trauma de topeiras mutantes pelo resto de sua vida curta.

PRÓXIMO!!!

7- Yurikuma Arashi (1/2015 – 3/2015)

Esse anime realmente é a essência do tédio. E prepare-se para ouvir essa palavra nessa lista.


Sim, a Tempestade dos Ursos Lírios (é bizarro assim mesmo), é uma crítica sobre…honestamente, não faço a mínima ideia do que essa merda tava falando.

O anime é de fato, confuso e beeem lento. Até que alguma coisa aconteça, um tal de KUMA SHOCK aparece e todo mundo acha essa merda boa. Eu acho entediante. E por “bons” motivos.

A história, embora interessante, tem um desenrolar lento. Os personagens são bem feitos, embora insuportáveis e o resto do elenco cai no esteriótipo O mundo contra o protagonista… e você tem poucos aliados. No final, eu larguei o anime e acabei criticando a “crítica”.

PERFECT!



6- Ghost in The Shell Arise (4/2015 – 6/2015)

E aqui está o motivo de não incluir remakes nas minhas listas.


Ok, antes de começarem a me xingar, esse “anime” é uma recompilação de 4 filmes lançados 2 anos atrás e que nunca assisti. Aparentemente, não perdi muita dessa coisa.

E agora, sessão de piadas com relação á Ghost:

  • A história é invisível;
  • Os personagens são assustadoramente entediantes;
  • Á menos que você seja um fã, tenha assistido e gostado dos filmes, a história é confusa;
  • É tão invisível que só lembrei dessa porra agora, o que já é de dar medo;
  • Break Blade é uma recompilação dos filmes e faz isso melhor.

Eu encerrro meu caso!

5- Gunslinger Stratos (4/2015 – 6/2015)


Oh boy, essa é a parte que vai ficar interessante, por que vai ser assim que você vai ler a palavra piedade:
PIEDADE

Bem-vindos a um dos animes hypados nessa lista, Gunslinger Stratos…THE LACK OF ANIMATION (Parece verídico)!

Cuzão, essa “adaptação” do jogo é Saint Seiya Omega com ESTERÓIDES em termos de animação (não se preocupe, eu vou comentar do Omega mais tarde).

Os personagens são esteriotipados, eles aparecem do nada além de morrer no mesmo episódio e fazer os protagonistas chorarem, a história é confusa pra caralho e OMG, a animação é uma porcaria. Oh, a única que salva dessa porra é a dublagem que não é tão bosta assim, hã?

Mas sério, fiquem longe dessa porcaria, ainda mais quando estamos da Square Enix.

Falando no demônio…

4- Akame ga Kill (7/2014 – 12/2014)

Hey, lembram de Final Fantasy Unlimited, um dos primeiros animes da Square Enix a ser exibido pela Tv japonesa? Bem, ela voltou a produzir com outro anime junto á Gunslinger Stratosfericamente bosta… E, oooooooh booooooy…

Uma série que teve um grande, GRANDE começo e que desviou muito do mangá não é muito o problema pra mim. Meu problema é que o final da série foi uma grande bosta. Não adianta comentar sobre a psique humana e contar uma história ÓTIMA, com excelentes personagens (na maioria deles) e ainda contar com um final BEM meia boca!

Um conselho para Square Enix: Não seja a porra da Konami. Foco em um setor vale muito a pena.



3- Aldonoah.Zero (7/2014 – 3/2015)

*suspiro*

Quando comecei a fazer essa lista, eu não tive ideia de tantas séries poderiam estar entre as piores séries do ano e outras que realmente fui forçado a terminar de assistir…Advinha? Aldonoah.Zero faz exatamente isso… E, em matéria de decepção, essa série não me desaponta.

Pra começo de conversa, essa série consegue um lugar na lista (um dos mais altos, ainda) devido á segunda metade: a primeira metade não foi o trem mais ÉPICO, mas tem substância para alguém gostar da 1ª metade. A segunda metade, nem tanto.

Não sei, acho que o que eu vi era mais ou menos uma versão comprimida de Kamen Rider Gaim (1º lugar das melhores séries 2013/2014 e uma das minhas favoritas), a única diferença é que a maioria dos cenários é no espaço, com personagens que apresentam ALGUMA substância (pelo os que aparecem na segunda metade, mas que não são todos) e um final tirado do 1º filme dos X-Men (Because RAISUNS).

Que isso fique bem claro: só porque tem alguém famoso no meio (no caso, Gen Urobochi), não significa que será ótimo. E honestamente, Aldonoah poderia fazer melhor

2- Saint Seiya Omega: Pallas-hen (4/2013 – 3/2014)

FAZ QUASE 2 ANOS E ESSA PRAGA AINDA NOS PERSEGUE!!!!
aaaaaAAAAAAAAAHHHHHHHHH!

A primeira reação que eu tive quando a saga de Pallas foi anunciada foi: mas já?! Não basta esperar um tempinho pra a saga de Marte (que é, de alguma forma, boa) terminar e ae já começarem essa nova saga?! E, conforme eu disse no vídeo onde comentamos a *caham* estranha Saga do Santuário, não é tão ruim…a princípio!

Aaa, se esses traços realmente existissem…


Conforme eu avançava na série, percebi que em vez de melhorar, não melhorou. Ao contrário, só ficava pior e mais bizarro. E não digo apenas no design das armaduras.

A saga de Pallas tem uma série de personagens sem personalidade, os protagonistas foram reduzidos a personalidades genéricas, os vilões são vergonhosos (menos o Titan, que foi o melhor personagem da saga de Pallas) e…o Ômega (caralho, são os Power Rangers!) e a animação mais bosta da face da Terra. Obrigado, fanbase, por ter estragado mais uma série.

E a reta final da história foi tão estranha que não seria surpresa ver outra série copiar a fórmula onde o protagonista ganha uma “forma” final e derrota o vilão e se retira, não é?

Pois é!

2B- HappinessCharge Precure (2/2014 – 1/2015)

A Toei me preocupa com o tanto de merda que lançam sem qualquer qualidade, ou cosenso, pra esse caso. E esse é o caso de HappinessCharge Precure.

Ideia para o final: copiar e colar o final de Omega!!

A diferença é que as meninas não vão notar!
(Vão notar porque existem mulheres que assistem Saint Seiya)


Listado como a temporada que QUASE matou a franquia (mas não matou, o que é uma pena pra mim), essa série é simplesmente um caos total.

Sabe dos problemas que Omega tem (exceto que Saint Seiya é uma franquia conhecida mundo afora e Precure só faz sucesso no Japão? ninguém menciona esse detalhe direito, não é?)? Bem, a série “comemorativa” tem esses problemas, mais um pouco.

Quer saber quem é o protagonista? Boa sorte, porque essa série  mal sabe em quem foca até a segunda metade. E isso se você tiver CULHÕES pra assistir esse troço, coisa que eu tive pra colocar nessa lista.

Não sendo só isso, a série faz exatamente o que eu mencionei antes: protagonista ganha uma “forma” final e derrota o vilão, que se retira. A diferença é que já era pra acontecer. No Omega, é asa com ASA! DEJÁ VÚ!

Parabéns, Toei. Você é agora a Konami da Animação (exceto que não maltrata funcionários e não tem Hideo Kojima). Ah sim, ambas foram animadas por Hoshino Mamoru, provavelmente o pior ESTAGIÁRIO. EVAAAAAAAAH!

Mais, por mais que essas duas séries me deixam puto e frustado, não chegam perto do desastre que é o número 1, que é…

1- Garo: Makai no Hana (4/2014 – 9/2014)

Seu olhar não mente: sua série foi pura frustação 


Garo: Makai no Hana…é a fusão de o que é um desastre com um caos…some isso com o fato de ser Garo e você tem em mãos uma das séries mais fracas da franquia (mais fraca do que Yami o Terasu Mono, até).

Deixa eu dizer uma coisa: Makai no Hana, de longe, parecia ser uma série boa, o protagonista parecia ser o cara mais fodão da Terra. Queimar peixes e “cordas” pelas costas parece ser uma coisa foda. E é. Nos dois primeiros episódios.

No ocorrer da série, é só introdução de novos personagens e quase nenhuma história aparente na série. Apenas UM personagem ganha ALGUM desenvolvimento e o protagonista é genericamente doloroso de assistir, algo que anda mais ou menos acontecendo com Raikou, da série Garo: Guren no Tsuki.

Makai no Hana é a junção de todos os problemas das séries anteriores: o começo é bom, mas termina fraco, tem uma história quase inexistente, Quase todo o elenco da série é altamente genérico. E o final, não é tão ruim, mas também não é lá muito bom.

Então, esse foi as séries que eu achei que me desapontou. Mas se acha que uma série te desapontou, então, hey, comentem.

E no dia 7/1, começa o verdadeiro show… 





30/12/2015 Posted by | séries 2014/2015, top 10 | Deixe um comentário

Séries 2014/2015, parte 1: as PIORES séries

2016 está chegando e junto com isso, as séries meio… não, totalmente podres desse ano e do ano passado. Por que esse é o meu trabalho (e de muitos outros) anunciar as coisa podi dessa esfera bizarra…chamada Terra…Yaaaaaaaaaay!


Mesmas regras para as séries anteriores (provavelmente vou explicar nas próximas listas), então…vamo nessa YEAAAAAAAAHAAAA!

5- Chaos Dragon (7/2015 – 9/2015)

Começando com um anime bem…estranho, pra dizer a verdade.

Honestamente, eu não esperava dar risadas desse anime tão…ilógico (essa palavra existe?) e, ao mesmo tempo, engraçado. Enquanto assistia o anime, a “animação” ficava, a “narrativa” ficava mais sem sentido e as “regras” do “anime” eram ignoradas (segundo o Anime News Network), eu até curti, mas ele é… fraco, devido á brigas internas com a equipe e SIM… é a adaptação de um RPG (geralmente, não é uma boa ideia adaptar para a animação, salvo algumas exceções). Por isso o 5º lugar. Mas chega de desculpa, é hora de ir mais fundo nessa bosta!


4- Sengoku Musou (1/2015 – 3/2015)

Já ouviu as pessoas falarem dos esteriótipos de Warriors Orochi, que é repetitivo e cansa rápido, e dá pra jogar uma vez e ACABOU?! Pois é!

Esse anime é mais ou menos o que acontece neste anime. Logo de FACE já nos deparamos com uma CG do “Caralho”(Só que não), uma história SEM interesse e esqueci de mencionar os personagens rasos, com pouca personalidade e com um anime que tem poucos personagens bons *cough*Kunoichi*cough**cough* ? Já mencionei que esse anime é ruim? Ótimo, por que não vai ter 2ª temporada!

QUEIMA AE, XAMPZ!!!


3- Ninja Slayer: The Animation (4/2015 – 10/2015)

Grande ironia: Quando aparece The Animation, tenha certeza de que seja animado…e que não faça parar de assistir no meio… uhum *tongue noise*

A parte dos Ninjas serem quase DEUSES e um ninja ANTI-NINJA até que é da hora, junto da huezera que faz a série. Mas fora isso, não tem muito que essa série oferece. E é aí que mora o pobrema.

A série, que era pra ser foda (o hype foi por causa do roteirista de Kill La Kill, uma série foda por sinal), no final das contas era uma animação Flash disfarçada de série oficial e ae que começou a perder interesse. Nem pra zoera, isso serve. E isso com apenas com SEIS episódios pra achar muito ruim.


2- Pupa (1/2014 – 3/2014)

Já ouviu falar de Pupa? Não, não é uma crisálida que se torna um daqueles insetos chatos do caralho. Mas sim um dos animes mais bosta de 2014. Era pra ser a clássica “vingança”, já que a Camilla me fez ver Shingeki no Karalho e Um Novo Mundo Bugado (que volta e meia, me assombra completamente), acabou sendo algo pior. Acredite em mim, esse anime seria DE LONGE o primeiro lugar, mas eis alguns fatos:

– Pupa É uma animação de TERROR em meio á diversos lançamentos de Comédia (alguns apareção na próxima lista);

– Como censurar certas cenas? Usando ursos de pelúcia, como se isso não simbolizasse pedofilia ou alguma merda do tipo

– Personagens mais rasos que a folha de papel higiênico, seguido de uma história 120% forçada.

E eu só consegui essa impressão em apenas UM episódio. E eu fiz a Camilla assistir TODOS os 12 episódios de 4 TORTURANTES MINUTOS!

Sim, esse anime poderia estar em PRIMEIRO LUGAR, mas esse você pode fazer coisas MALÉGNAS com o anime, diferente do “kapião” nessa lista idiota…

Aviso: O primeiro lugar contém incessantes doses de raiva, humor negro e palavras de baixo CARLÃO…e muito VENENO! Então, se você é fã de Sailor Moon, ou de mahou shoujo em geral, pare de ler essa lista e clique aqui!

1- Sailor Moon Crystal (7/2014 – 7/2015)



E em PRIMEIRO LUGAR DESSA PUTA LISTA só podia dessa porcaria com cheiro de nostalgia e gosto de merda… Essa puta que pariu de série que é um tumor que a TOEI animou chamada de Sailor Moon…Crystal Turd!!

Puta merda, como odeio esta série. Pra começo de conversa, essa série é 100% fiel ao mangá, o que seria de fato bom, se não fosse com uma animação mais bosta que o de Saint Seiya Omega (sim, eu disse isso!), com a equipe de Precure e ainda…ainda essa buceta em forma de anime vai ganhar uma terceira temporada, por que hey, tamo encheno o cú de dinheiro, então vamo fazer mais, mwahahahahahaahah!!

Sim, a série é a 1ª de uma série de produções exclusivas para a NET. Só que pesquise na internet, você vai ler muita review negativa, gente reclamando…e agora, mais um pra por no Google, só que xingando essa série ruim do caralho.

E o pior: Apenas com UM…um único e MALDITO EPISÓDIO eu vi que não tava perdendo muita coisa!

29/12/2015 Posted by | séries 2014/2015 | Deixe um comentário

Opinião pessoal #2:E mais uma vez, Konami!

Deixa eu montar o cenário: estamos num ano em que os jogos estão sendo lançados com diversos bugs (inclusive os que possuem GRANDES expectativas), muitas pessoas estão PUTAS com as empresas, e “pais” de várias franquias estão investindo em sites de crowfunding após a saída dos mesmos em várias empresas.

E, no meio de tudo isso, Konami…

Eu não sei por AONDE e COMO começar…

Nesses últimos anos, a Konami, a mesma Konami que trouxe caçadores de vampiros, tornou a espionagem muito, MUITO foda e até um ciborgue que destrói tudo que estiver pela frente (e infelizmente, não joguei…ainda), destruiu diversas franquias e estava pendendo a cair no esquecimento. Apenas duas coisas mantinham Konami na linha: os jogos da franquia Yu-Gi-Oh e Hideo Kojima!!

Até o dia em que Kojima vazou da Konami, descobrimos que a grande empresa, praticamente parte da infância de muita gente, e até criar o lendário BOSS RUSH, não passa de uma grande empresa que, gosto de chamar disso porque é ruim para um caralho, sofre o chamado Síndrome de Sailor Moon Crystal: um bando de parasitas que se tornaram nos últimos anos!

Antes que começar a escavar essa merda, deixa eu vou esclarecer uma coisa: eu não gosto de falar os que os outros ficam falando, já que eu possivelmente falaria a mesma coisa que os outros falariam (o que acontece de vem em quando). Mas esse assunto está sendo expandindo a níveis descontrolados. Então, vou tentar ser o menos “disco de vitrola” possível!

O cancelamento de P.T., Del Toro ganhou trauma e… PACHINKOS!!!

Vamos começar com a fábula chamada “o retorno de Silent Hill”

Tudo começou com Guilhermo del Toro e Kojima se juntando com um ator famoso que faz um cara em The Walking Dead (desculpa se eu esqueci o nome do cara) para fazer um jogo que foi lançado, chamado P.T. (também chamado de Silent Hills) e considerado por muitos o retorno da franquia.
Mas a rainha malvada chamada Konami estava reestruturando seus estabelecimentos no reino, criando um atrito entre os seus “empresários”, resultando no cancelamento de P.T..
No final das contas, Del Toro não vai mais fazer jogos e Silent Hill…FALICEU!!

É um modo meio figurado de contar que, o que seria um possível jogo, acabou de ser cancelado. Mas um novo Silent Hill foi anunciado, mas exclusivo para o Japão. Para jogar, é simples: basta viajar para a terra do Sol Nascente, ter um vício DO CARALHO em apostas, por que Konami lançou para a porra de uma máquina de PACHINKO (e uma das barulhentas, ainda por cima)!

Las Vegas é um paraíso perto do Japão: Máquinas de Pachinko estão em todos os lugares (que são da CORÉIA) e rendem RIOS de dinheiro, é um negócio puta lucrativo lá…se não fosse pelo fato de envolver franquias bastante conhecidas, tanto de animes quanto de games e isso é absurdo e uma porcaria de ideia (e não quero falar disso…AT ALL)!

A briga entre CEO e Kojima

Aviso: os próximos tópicos envolverão a imagem que está disponível nesse link e não é 100% verídico (ou até mesmo, ser levado a sério) até o momento. 

Alguns repórters (principalmente os You Tubers americanos, que acabou se tornando base para esse post) tentaram procurar alguma resposta sobre os atritos entre a Konami e o Kojima. Bom, a boa notícia é que encontraram…mas até eles mesmos duvidam dessa credibilidade (ao menos, um deles duvida).

Em uma dessas respostas, o CEO da Konami, Kagemasa Kozuki odeia pra caralho Sailor Moon Crystal… foi mal, alvo errado.  Kagemasa Kozuki odeia Kojima pra caralho. Visto que Metal Gear Solid não estava vendendo “muito bem” e resolveu comprar briga com Kojima e o resultado, não saiu muito bem…

Junte-se ao fato de que trabalhar na Konami é o mesmo que trabalhar pro Coisa Ruim e você tem em mãos uma grande bomba de merda que explode a toda hora (acostume-se com a expressão e a falta de sentido porque é mais ou menos o que vai acontecer daqui para frente…)!

O pacto com o Konami

Trabalhar para Konami é o mesmo que trabalhar para o Camunhão…bom, é o que dizem por ae, não sou eu falando isso (mas como é exagero então…Ok). Piadinhas a parte, funcionários que trabalham (ou trabalhavam) e o jornal Nikkei dizem que trabalhar na Konami não é o melhor lugar do mundo!

Imagina você trabalhar com câmeras espalhadas pelo escritório, não por segurança, mas porque seus chefes querem saber seus movimentos, incluindo SAIR do recinto apenas para ALMOÇAR…Comer sushi nunca ficou tenso!
Ow, você achou ruim? Então saiba que na Konami, seu e-mail nunca, jamais é fixo! Você pode ter um novo e-mail a cada 24 horas e você pode ser promovido de produtor de jogos…a gari (caça isso na internet, você vai rir de horror)!

Mas e a Konami?

A Konami não é uma companhia que desiste fácil, desiste?

Deixe eu te lembrar que eu comecei a escrever este post entre o final de setembro e o final de novembro. A essa altura, a “querida” Konami está tentenado de TUTÔ pra manter o mestre Kojima na companhia…bom, até dezembro, quando o contrato dele acaba…mas ele pode ter saído, então…



Bem, segundo a KÚnami, Kojima não foi demitido, NOOOOOO. Kojima está – e isso não é uma piada – de FÉRIAS e sua equipe está DESCANSANDO.
Ok, primeiro, oficialmente, o contrato de Kojima termina em dezembro, então até o seu “descanso” acabar, ele terá MAIS tempo para descansar.
Segundo, a treta que tinha entre ele e o CEO foi encerrada, assim, da porra do nada?
E terceiro, tentam convencer que Papai Noel existe, aí terei total ciência de que Kojima é o eterno escravo da Konami

E essa novela vai acabar?
Provavelmente não…
Mas como o futuro é imprevisível, então é esperar pra ver (Embora eu acharia hilário ver a Konami ir á falência e fazer milhoes de piadas… Seria a base da minha existência)

20/11/2015 Posted by | castlevania, kojima, metal gear | Deixe um comentário

Análise Relâmpago: Kamen Rider Hibiki (a.k.a. o meu limite)

Aviso: Esse post terá altos índices de RAGE e terei ser menos “hater” possível… e analisarei os dois episódios que tive ESTOMÂGO pra conseguir assistir essa caralha…


Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa….

A Camilla me entregou os primeiros 20 episódios da série Kamen Rider Hibiki, uma série que carrego um imenso ódio…Eu assisti a série antes. E por antes, eu quero dizer o primeiro e o último episódios porque não tive paxorra pra  aguentar esta merda.
E assim foi, depois de Decade, assisti as merdas do Super Hero Taisen…a Guerra dos Kamen Riders (e um esquadrão que eu igualmente odeio) e quando assisti a série em si…

Antes de mais nada, desculpe, Camilla. Eu tentei. Eu realmente tentei. Mas o que era um ódio quase incontrolável…agora virou uma maldita trauma que revela quem eu sou de verdade: um cara extremamente orgulhoso e o maior vacilão que já conheceu na Terra!

Então Sim, Kamen Rider Hibiki não é ruim porque é diferente. É ruim porque é um dos piores exemplos de coxismo somado ao merchandising do Japão (que devo te lembrar que eles ultrapassam, trespassam e esmagam os limites). A mudança do roteiro mostrou que desperdício é um problema enorme e que fica ainda pior quando o ator fica insatisfeito com isso.
Mas no meu caso, não é ruim porque é diferente (Gaim e Ryuki são radicalmente diferentes, até mesmo nos “padrões” das séries Kamen Rider). É ruim não só porque não tem uma história boa, como também não consegui encontrar UM ponto a ser redimido.

Mas você não assistiu Shingeki no Kyojin e mesmo assim odiou?

Sim, assisti por inteiro e ainda odiei, porque não é o meu estilo de série, os personagens são genéricos e já vi guerra contra gigantes (Shadows of Colossus). Mas, Shingeki no Kyojin tem alguns pontos bons: as manobras são épicas e a OST é até boa. Com Hibiki… Hhhhhhhmmmmmmm…

Hibiki não tem UM personagem que eu gosto, a OST é bastante vaga (e é o mesmo cara que fez as OSTs de Kamen Rider Kuuga e Saint Seiya Omega, pra variar) e não consigo encontrar um motivo pra seguir em frente: Quem são Makamous? O que são Onis? Por que caralhos tudo tem que ser a porra de um maldito musical de merda?!
O primeiro episódio é a caralha de um musical, logo nos primeiros minutos da série. Moleque genérico encontra herói genericamente atrapalhado e se transforma num Oni (que já deixo de cara que sou indiferente nessa parte) que queima o Makamou feito por um CG de bosta…
O segundo e pra mim, o último episódio, é uma aranha…e Hibiki derrota com percussão…é isso…

A esse ponto, não tive mais forças pra seguir em frente, muito menos culhões e quem me dera força de vontade e/ou estomâgo pra terminar de ver a série. Mesmo que me pedissem pra, de fato, terminar de assistir essa série ou ME FORÇAR a assitir essa série (o que no meu caso, de fato aconteceu), eu diria simplesmente que o primeiro e o último episódios pra mim são mais do que suficientes…

Então Camilla, me desculpe por ser um tremendo vacilão e não cumprir o que você pediu pra mim. Mas, este cara, orgulhoso para um caralho e o vacilão mais sacana da Terra encontrou seu inimaginável limite… 

20/10/2015 Posted by | kamen rider hibiki, review | Deixe um comentário